Campo Grande / MS Terça-feira, 15 de Outubro de 2019

Escolha sua cidade

Campo Grande Água Clara Alcinópolis Amambai Anastácio Anaurilândia Angélica Antônio João Aparecida do Taboado Aquidauana Aral Moreira Bandeirantes Bataguassu Batayporã Bela Vista Bodoquena Bonito Brasilândia Caarapó Camapuã Caracol Cassilândia Chapadão do Sul Corguinho Coronel Sapucaia Corumbá Costa Rica Coxim Deodápolis Dois Irmão do Buriti Douradina Dourados Eldorado Fátima do Sul Figueirão Glória de Dourados Guia Lopes da Laguna Iguatemi Inocência Itaporã Itaquiraí Ivinhema Japorã Jaraguari Jardim Jateí Juti Ladário Laguna Carapã Maracaju Miranda Mundo Novo Naviraí Nioaque Nova Alvorada do Sul Nova Andradina Novo Horizonte do Sul Paraíso das Águas Paranaíba Paranhos Pedro Gomes Ponta Porã Porto Murtinho Ribas do Rio Pardo Rio Brilhante Rio Negro Rio Verde de Mato Grosso Rochedo Santa Rita do Pardo São Gabriel do Oeste Selvíria Sete Quedas Sidrolândia Sonora Tacuru Taquarussu Terenos Três Lagoas Vicentina

Notícias / Mundo

08.10.2019 às 08:43

Protestos no Iraque deixam mais de 100 mortos

Redação Agência Brasil

Autoridades iraquianas informam que passa de 100 o total de mortos em confrontos entre manifestantes antigoverno e forças de segurança.

Os protestos tiveram início na capital, Bagdá, no dia 1º, contra a alta taxa de desemprego e a precariedade dos serviços públicos. Em seguida, se espalharam por cidades do sul do país.

Um porta-voz do Ministério do Interior disse a jornalistas que 104 pessoas morreram, incluindo oito agentes de segurança. O total de feridos chega a 6.107.

O porta-voz negou que forças de segurança dispararam munição real contra manifestantes. Segundo ele, havia “mãos maliciosas” por trás de ações que tiveram por alvo manifestantes e pessoal de segurança.

No sábado, o primeiro-ministro do Iraque, Adel Abdul-Mahdi, anunciou várias medidas para atender às reivindicações dos manifestantes, como o pagamento de auxílio-desemprego e a oferta de moradias subsidiadas para a população carente. Também prometeu se encontrar com os manifestantes e ouvir suas exigências.

*Emissora pública de televisão do Japão

Comentários
informe o texto a ser procurado
Voltar ao topo