Campo Grande / MS Terça-feira, 15 de Outubro de 2019

Escolha sua cidade

Campo Grande Água Clara Alcinópolis Amambai Anastácio Anaurilândia Angélica Antônio João Aparecida do Taboado Aquidauana Aral Moreira Bandeirantes Bataguassu Batayporã Bela Vista Bodoquena Bonito Brasilândia Caarapó Camapuã Caracol Cassilândia Chapadão do Sul Corguinho Coronel Sapucaia Corumbá Costa Rica Coxim Deodápolis Dois Irmão do Buriti Douradina Dourados Eldorado Fátima do Sul Figueirão Glória de Dourados Guia Lopes da Laguna Iguatemi Inocência Itaporã Itaquiraí Ivinhema Japorã Jaraguari Jardim Jateí Juti Ladário Laguna Carapã Maracaju Miranda Mundo Novo Naviraí Nioaque Nova Alvorada do Sul Nova Andradina Novo Horizonte do Sul Paraíso das Águas Paranaíba Paranhos Pedro Gomes Ponta Porã Porto Murtinho Ribas do Rio Pardo Rio Brilhante Rio Negro Rio Verde de Mato Grosso Rochedo Santa Rita do Pardo São Gabriel do Oeste Selvíria Sete Quedas Sidrolândia Sonora Tacuru Taquarussu Terenos Três Lagoas Vicentina

Notícias / Polícia

07.10.2019 às 08:59 - Atualizada em 08.10.2019 às 14:25

PM mata esposa na frente do filho, depois de assassinar suposto amante

Redação UOL

O policial militar ambiental Lúcio Roberto Queiroz da Silva, de 36 anos, é suspeito de matar a esposa e um corretor de imóveis a tiros na noite deste sábado (05) em Paranaíba, a 407 quilômetros de Campo Grande (MS).

Segundo informações da Polícia Militar,  Lúcio teria recebido mensagens em seu celular com prints de conversas entre a esposa, Regianni Rodrigues Araújo, 32, e o corretor de imóveis Fernando Enrique Freitas, 31, que mostrariam que ambos mantinham um relacionamento amoroso.

O policial então teria procurado as mensagens no celular da mulher, mas não as encontrou. Inconformado, primeiro ele foi atrás do suposto amante dela. Ao chegar à casa do corretor, o policial teria atirado contra Fernando, que ainda tentou correr, mas foi atingido e não resistiu aos ferimentos. 

Em seguida, segundo a polícia, Lúcio foi até a casa de seus pais onde encontrou sua esposa deitada no sofá da sala. Ele teria atirado várias vezes contra a mulher na frente de seu próprio pai e do filho do casal, de 7 anos de idade. Ela também morreu no local.

Regianni deixa dois filhos, uma menina de 15 anos, fruto de um relacionamento anterior e um menino de 7, filho do policial. O corretor de imóveis também era casado e deixou uma filha de 1 ano.

O suspeito fugiu de carro e até o momento não foi localizado. O crime foi registrado como homicídio simples e feminicídio.

Vídeo Relacionado

Comentários
informe o texto a ser procurado
Voltar ao topo